Meu Perfil
BRASIL, Homem, de 20 a 25 anos, English, Spanish



Histórico


Outros sites
 Sad Lady Lud
 Portas secretas para a alma
 Culto a Caixa
 Wildest Dreams
 Cá entre nós
 Poesia Errada
 Gregor.Samsa.
 Som da Sílaba
 Contos do Man
 Paranóia Púrpura


 
 
Palavras e só


Sopro (poema finalista do prêmio Flip-Off 2010)



Escrito por Caio às 17h52
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



Imagem turva

Você se acha feia quando olha no espelho
Teu espelho mentiroso é uma capa de revista
Menina não insista em parecer com Beyoncé
Se olha no espelho e dessa vez veja você



Escrito por Caio às 14h24
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



Tic-tac-tac-tac-tac...

Vivo tempo do relógio
e o relógio não sou eu
Esse tempo que é lógico
esse tempo não é meu



Escrito por Caio às 12h16
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



EU(goísmo)

O seu chicote de verdades
faz sangrar meu sangue culpado.
Em cada tira de carne
um pecado.
Em cada lágima
um grito de pavor sufocado.
E a dor que escorre
no meu corpo ensanguentado,
meu ego calado,
sequelam o que resta
do meu eu despedaçado.
Um só eu,
um egoísta, um montsro malvado.



Escrito por Caio às 17h39
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



Todo mundo busca alguma coisa

Quero escrever e falar da emoção
de ser um ser com coração
Quero escrever e contar a vantagem
de ser um ser de coragem
Quero escrever e também avisar
que sou um ser de pensar

Quero correr pela estrada que brilha
que emana alegria
Quero seguir e prever minha sorte
indo pro sul ou pro norte

Posso encontrar
Ele está lá
Vai me mandar
para o meu lar

E do meu lado a lata insensível
E do meu lado a palha vazia
E do meu lado a fera contida



Escrito por Caio às 16h29
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



Atirei uma pedra

Que tipo de pessoa sou eu?
Que te faz sofrer no peito
por prazer, egoísmo
nem sei direito...


Que tipo de demônio sou eu?



Escrito por Caio às 11h40
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



Versinhos ao poetinha

Que bom
foi te ouvir cantar
a alegria e a dor
santo e orixá

Foi bom
te ouvir cantar
um canto pra Ossanha e Xangô
Oxum, Iemanjá

Tão bom
foi te ouvir cantar
a beleza do Amor
e o sofrer por amar

Foi bom
te ouvir me ensinar
a pegar o avião
só o samba dançar

Ah! Poetinha
você tinha razão
sobre as razões do coração



Escrito por Caio às 10h59
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



Pensamento de um homem na calçada

Por que os ratos gritam
verbos que não entendo?
Procuro por pratos,
não estou vendo.
Pedindo comida,
um cego ao vento.
Por que crianças choram
dores que não entendo?

Claro!, são você de ontem,
de amanhã
e do amanhecendo.



Escrito por Caio às 11h07
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



O Enunciado

Por que a enunciação
anuncia a ação?
Haveria de se recusar
e dizer “não”?
Qual seria teu propósito,
então?
Ser e renunciar à ação?



Escrito por Caio às 11h02
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



Arma

Parou a poderosa metralhadora
de palavras
Parou estranhamente
de disparar palavras
de forma assustadora
Infelizmente...
Pararam os provérbios,
prosódias,
comédias,
paródias,
palavras… e só.



Escrito por Caio às 11h49
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



O por quê daquele ferimento fundo ser tão essencial

O que seria da dor se não houvesse ninguém pra sentí-la?
Seria sensação fluida no espaço
Pura e crua dor
Que correria em busca de um corpo pra doer
Mas ficaria alí, só, pura e crua dor
Que arderia no coração de alguém
Se apenas pudesse ser dor
E fazer sofrer
O corpo de um coitado qualquer
Um triste eu crucificado
Um filho obediente da dor
O que seria da dor se não houvesse eu pra sentí-la?

A dor seria nada e eu seria a dor



Escrito por Caio às 12h09
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



Palavras e... só?

Tenho desdenhado das palavras
mas sei que não posso descrê-las
Se eu pudesse ao menos sentí-las
tocá-las, tê-las,
Se pudesse no mínimo olhar
e vê-las
saberia que são só palavras.

 



Escrito por Caio às 16h28
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



Mundos Simbólicos

Com as palavras se pode fazer tudo
Se pode fazer mundos
navegar mares
mergulhar fundo no tudo dos sonhos
Refazer mundos
Criar, destruir e recriar tudo
Descontruir olhares,
ouvires, cheirares,
transformar figuras em fundos
e refazer tudo.

Com as palavras se pode esclarecer tudo
ou confundir todo mundo.



Escrito por Caio às 19h13
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



Canção Negramericana

De noite à meia luz
eu compus um samba-blues
num violão bem temperado
meio desafinado
E espero ter feito jus
aos filhos dos santos
Ogum e Jesus
Filhos d’África
do norte e do sul
Mulatos, morenos
azuis e zulus
Os homens do samba
os homens do blues

De noite, deitado na cama
eu toquei um blues com samba
dos terreros de umbanda
dos verdes campos de Louisiana
Um samba-blues bem alinhado
com ritmo, rimas e swuingado

É afro, é bamba… É blues e é samba… É afro, é bamba… É blues e é samba…
É afro, é bamba… É blues e é samba… É afro, é bamba… É blues e é samba…
É afro, é bamba… É blues e é samba… É afro, é bamba… É blues e é samba…
É afro… bamba… blues… samba… afro… ba… us… mba… af… ba… é… sam…



Escrito por Caio às 12h10
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



Relação Palavra/Coisa

As palavras podem dar nomes as coisas
mas nunca poderão ser essas coisas
Porque essas coisas são o que são
e nunca serão somente palavras

Essas coisas tem um “aquilo” que as palavras não podem alcançar

Elas podem ser um discurso sobre “aquilo”
elas podem ter algo a dizer
e te fazer entender que “aquilo“ é  “isso”
Elas podem ser “issos” sobre “aquilos”
Ou podem ser só palavras



Escrito por Caio às 12h01
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]




[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]